A Rinoplastia é um dos procedimentos mais populares da área da cirurgia plástica. Quando feita de forma adequada, por um cirurgião plástico experiente, a cirurgia costuma trazer resultados satisfatórios , sem comprometer a saúde do paciente.

O que é a rinoplastia secundária?

Quando um procedimento de rinoplastia acaba deixando sequelas no paciente e é necessário fazer um novo procedimento no nariz para corrigir essas sequelas, essa cirurgia é chamada de rinoplastia secundária. A intensidade dessas sequelas pode variar de pequenas imperfeições estéticas que podem se ajustadas com mais facilidade, até problemas mais graves, que podem afetar o funcionamento do nariz do paciente e consequentemente, sua respiração.

Casos que requerem rinoplastia secundária

É necessário que seja feita uma avaliação com o cirurgião plástico, que irá analisar o caso e determinar se uma cirurgia secundária é realmente uma necessidade. Os casos comuns de sequelas nos quais o procedimento se faz necessário são:

Colapso da válvula média

Neste caso, a parte intermediária do nariz, suas “paredes externas” colapsam sobre as vias, causando um bloqueio da respiração.

Laterorrinias

Esse tipo de sequela é o entortamento do nariz, seja para a esquerda ou para a direita. Um desvio leve para qualquer um dos lados é perfeitamente normal, no caso da laterorrinia entretanto, o desvio é mais severo e compromete o funcionamento do nariz.

Assimetria de ponta

Quando ocorre alguma sequela na ponta do nariz que requeira uma reabordagem cirúrgica no nariz. A ponta tende a ser uma das partes mais complexas do nariz.

Quer saber mais?

Complexidade da rinoplastia secundária

A Rinoplastia secundária é uma cirurgia que requer um cirurgião experiente, uma vez que o trabalho é minucioso e extremamente complexo. Uma série de fatores será analisada para que o melhor resultado seja obtido. Um desses principais fatores é se o paciente já realizou ou não uma rinoplastia estruturada.

Na rinoplastia estruturada são utilizadas partes da cartilagem do septo nasal para reconstruir a forma do nariz. O fato de essa cirurgia já ter sido realizada ou não é importante pois em geral a rinoplastia secundária utiliza essas mesmas partes de cartilagem para fazer os ajustes na estrutura nasal e caso o procedimento já tenha sido feito na cirurgia primária, não haverá cartilagem o suficiente para ser utilizada na secundária.

Quando não há cartilagem o suficiente do próprio nariz para ser utilizada na rinoplastia secundária, a cartilagem precisa ser retirada de outras partes do corpo. Normalmente para essa finalidade escolhe-se a cartilagem conchal, que é o material que compõe a concha das orelhas ou da parte medial da costela, área de cartilagem que permite às costelas seu movimento de respiração.

Consulte um cirurgião qualificado

Como é possível perceber, a rinoplastia secundária não é uma cirurgia simples e a competência e cuidado do cirurgião plástico são essenciais para que se alcance um resultado que seja tanto esteticamente agradável, quanto funcional, que não afete a saúde do paciente.

Para isso busque uma consulta com um cirurgião que tenha especialização nesse tipo de procedimento e experiência em sua realização.